• Você está em: 
  • Home
  • Notcias

18/02/2019 - ASSISTÊNCIA MÉDICA PARA TODA CATEGORIA, UMA CONQUISTA HISTÓRICA

Assim como a conquista do RISCO DE VIDA em 2010, quando conquistamos os 30% de Risco de Vida Parcelado, começando com a primeira parcela de 3% em março de 2010, a segunda de 8% em março de 2011, e a terceira chegou a 14% em março de 2012, quando então tivemos nova conquista no Congresso Nacional com a aprovação  da Lei 12.740 em 08 de dezembro de 2012 e assim em MARÇO DE 2014 nós chegamos aos 30% DE PERICULOSIDADE.

Hoje, a grande conquista é a ASSISTÊNCIA MÉDICA AMBULATORIAL que será oferecida a TODA CATEGORIA SEM NENHUM DESCONTO DO TRABALHADOR. Com isso, os trabalhadores poderão ter consultas e exames, o que inclui os PREVENTIVOS MASCULINO E FEMININO. E cuidar da saúde através da assistência médica é uma conquista importante para todos, PARA NOS PRÓXIMOS CHEGARMOS AO PLANO DE SAÚDE COMPLETO, conforme nossa luta histórica em defesa de um plano de saúde para toda categoria. Assim como no Risco de Vida, na Assistência Médica o primeiro passo foi dado, resta agora continuar caminhando e conquistando.

Outra conquista importante é o encerramento das negociações em fevereiro com a garantia de uma nova Convenção Coletiva a partir de 1º de março e assim os Vigilantes e demais Empregados de Empresa de Segurança estão com os seus Direitos garantidos. Hoje, com a Reforma Trabalhista e a nova Reforma da Previdência os trabalhadores precisam ter seus direitos garantidos, porque não podemos deixar milhares de trabalhadores sem a proteção da convenção coletiva.

Outra importante vitória dessa negociação é impedir que os Bancos substituam o Vigilante bancário pelo Vigilante parcial assim como está acontecendo em muitos Estados do país. Aqui no Rio de Janeiro isso não poderá acontecer porque a nossa Convenção Coletiva não permite. Ou seja, hoje com a Reforma Trabalhista, ficar sem Convenção Coletiva é suicídio, é levar a categoria para uma situação de enorme risco e prejuízo, pois as Empresas ficam desobrigadas de respeitar os Direitos dos Trabalhadores.

Para finalizar, o PISO SALARIAL com o reajuste de 3,3% ficou em R$ 1.450,87 e a Periculosidade em R$ 435,26 o que somados resulta no total de R$ 1.886,13.

O tíquete refeição continuará em R$ 22,00, sem reajuste, devido ao custo da Assistência Médica que será pago integralmente pela Empresa.

A Diretoria do SINDVIG Rio informa que em breve o novo texto da CCT 2019/2020 estará disponível no site do Sindicato para que os trabalhadores tenham amplo acesso.

Quanto à implantação da nova ASSISTÊNCIA MÉDICA AMBULATORIAL o Sindicato em breve divulgará a data de entrega das carteirinhas no Sindicato para que os trabalhadores possam ter acesso às consultas e exames.

15/02/2019 - ENTREVISTA COM O PRESIDENTE DO SINDVIGRIO ANTÔNIO CARLOS

Esteve presente no Sindicato o Vigilante Ribeiro, idealizador da página Lista Negra Ocorrências para entrevistar o presidente do SindvigRio, Antônio Carlos, resultando nesse importante vídeo, onde o Presidente fala sobre negociação salarial, estatuto da segurança privada entre outros assuntos.

VEJA NO VÍDEO ABAIXO


15/02/2019 - NOTA SOBRE O VIGILANTE DO HIPERMERCADO EXTRA

A Diretoria do Sindicato dos Vigilantes manifesta seu pesar pelo falecimento do jovem Pedro Gonzaga no episódio de ontem, dia 14 de fevereiro, pois independente do resultado da apuração criminal dos fatos, a categoria dos profissionais da segurança privada tem na preservação da vida humana o seu maior valor.

Vale lembrar que defender a vida e o patrimônio alheio, ainda que em prejuízo da sua própria vida, é a nossa maior missão.

No entanto, pedimos a todos que acompanham os fatos pela imprensa e redes sociais que NÃO JULGUEM E CONDENEM OS TRABALHADORES VIGILANTES ENVOLVIDOS antes mesmo da Justiça. Pedimos que respeitem o direito à defesa, que aguardem a apuração e investigação, e ainda o devido processo legal a que todos os cidadãos têm direito neste país.

Repetimos, sentimos muito pela morte do Pedro Gonzaga, mas antecipar conclusões não colaborará em nada para que a justiça prevaleça.

SINDVIGRIO

14/02/2019 - BLITZ SINDVIGRIO NA UFRJ CAMPUS FUNDÃO

 O Sindicato dos Vigilantes do Rio de Janeiro recebeu inúmeras denúncias referentes a falta de pagamento de salário aos Vigilantes que trabalham na UFRJ Campus Fundão.


 

As empresas Front e Guard Angels não estão cumprindo com suas obrigações com os Vigilantes, deixando esses trabalhadores e suas famílias expostos a todo tipo de privações.


Veja no vídeo o resultado da BLITZ:



 

13/02/2019 - ASSEMBLEIA AMANHA DIA 14 AS 8H E 18H

12/02/2019 - PREVIDÊNCIA - REGRA MAIS RÍGIDA PARA ABONO SALARIAL

Restrição do benefício a quem ganha um salário mínimo geraria economia de R$ 17 bilhões ao governo

O GLOBO / 12-02-2019

Geralda Doca

BRASÍLIA - A decisão do governo de incluir na reforma da Previdência um artigo que dificulta o acesso ao abono salarial (PIS/Pasep) vai atingir 23,4 milhões de trabalhadores. Pessoas que ganham entre 1,5 e 2 salários mínimos, eles representam um universo de 91,5% dos beneficiários, segundo dados do site especializado Trabalho Hoje. De acordo com a minuta da proposta de reforma que circulou no início desta semana, somente terá direito de receber o abono quem tiver renda mensal de um salário mínimo. Hoje, ele é destinado a quem ganha até dois salários. O levantamento do site foi baseado na RAIS (Relação Anual de Informações Sociais),  considerando a remuneração média dos trabalhadores do setor privado e servidores públicos em 2017.

11/02/2019 - APÓS PROTESTO GP REGULARIZA FGTS

O SINDVIG-RIO na semana passada, fez protesto na porta da GP exigindo a regularização de todos os depósitos do FGTS dos Vigilantes.

Abaixo Lista dos vigilantes da GP que tiveram o FGTS depositado, garantindo assim, o recebimento do seguro desemprego.

AILTON JOSE SOARES RODRIGUES

ALAN DOS SANTOS GOMES

ALCEBIADES FRANÇA DOS SANTOS

ALCIR ARAUJO O. DOS SANTOS

ALEXANDRE  LESSA DE SOUZA

ALEXANDRE LESSA

ALEXANDRE SILVA DE SOUZA

Alexandre Torres Pinto

ALIOMAR SILVA DOS ANJOS 

ALLAN PORTILHO DOS SANTOS

ALMIR DE SOUZA VIEIRA

Ana Marcia de Souza Gomes

Ana Marcia de Souza Gomes

ANA PAULA DE ALMEIDA P. MORÃES

ANDRÉ LUIS DE SOUZA SANTOS

BRUNO DOS SANTOS CARIOCENI

Carlos Eduardo Januario

Carlos Eduardo Januario

Cleiton Crispiniano Gomes da

Clemilson Augusto Rosa

Clemilson Augusto Rosa

CRISTIANE DE SOUZA L. DA SILA

CRISTIANO BARBOSA NASCIMENTO

CRISTIANO MARCIORILO MIRANDA

Daniel das Graças Teixeira

Davi Carlos dos Santos Silva

Deivisson Ferreira Ribeiro

DENIELE FAUSTINO DOS MONTEIRO

DENIS ANDERSON L.  DE MELO

DIOGO PIRES BARBOSA

Edinei Rodrigues Jorge

Edinei Rodrigues Jorge

EDMIR  MARTINS DE ALBURQUEQUE

EDUARDO ALMEIDA DO NASCIMENTO

ELISIO DE JESUS

Emanuel Lucas Teixeira

Emanuel Lucas Teixeira

ENEIDA MARIA DA COSTA

EVALDO RENONES DE OLIVEIRA

GERUSA GONÇALO

GERUSA GONÇALVES DA SILVA

Gilberto Luiz Coutinho

GILSON MARTINS GONÇALVES

GLAUCIO JOSÉ DE A. BARBOSA

Hugo Frederico Marcondes

IVACI DOS SANTOS ARAÚJO

JENIFFER XAVIER DA SILVA

JONAS FURTUOSO NASCIMENTO

JORGE LUIS DE BRITO CORREA

Jorge Luiz Alves Guimaraes

JORGE PINEIRO DA SILVA

JOSÉ GILBERTO MACIEL DA SILVA

Josiel Roque da Luz

Leandro de Almeida Assis

Leandro Pereira Paulino

Leandro Pereira Paulino

Leandro Valci da Silva

Leandro Valci da Silva

Lucas Novaes da Silva

LUCIANO ANTONIO

LUCIANO ANTONIO DE ANDRADE DA ROSA

Luciano Silva de Azeredo

Luciano Silva de Azeredo

LUIS CARLOS CARNEIRO SILVA

LUIZ CARLOS CORDONIZ JUNIOR

LUIZ GUSTAVO FRANCISCO

MARCELLE  FRANCISCO  NUNES

MARCELO DE SOUZA LEÃO

MARCIO ALEXANDRE BARBOSA DA SILVA

Marco Antonio Alves

MARCOS ALVES DE JESUS

Mario Celso dos Santos

Mario Celso dos Santos

MARIO LUIZ DE SOUZA

MARLENE BISPO DE SOUZA

Marlon da Silva Nunes

Marlon da Silva Nunes

Maura de Freitas Carvalho

MAURECI LOREDO BARROS

Maurilho Tavares Moreira

Maurilho Tavares Moreira

MAURILIO MOREIRA

Maxwell Brito Rocha

Maxwell Brito Rocha

MESAC CEZARIO DO NASCIMENTO

MIRIAN PATRICIA CUSTODIO DOS SANTOS

Natalia dos Santos Silva

NILSON GONÇALVES PIRES

PAULO SERGIO DA SILVA

Raphael Moura da Silveira

ROBERTO MACHADO ANDRADE

RODOLFO DA SILVA FRANCISCO

ROGERIA DE LIMA DA CRUZ

SERGIO DOS SANTOS SILVA

SIMONE AQUINO SOARES

THIAGO RODRIGUES DA COSTA

Uiliman dos Santos Brito

Uilliam da Silva Simoes

Valdeci de Oliveira

Vinicius Rodrigues Lagrimante

Vinicius Rodrigues Lagrimante

07/02/2019 - SINDVIG-RIO É DESTAQUE NACIONAL NO BOLETIM DA CONTRASP

SINDVIG-RIO É DESTAQUE NACIONAL

Boletim informativo da CONTRASP - Confederação Nacional dos Trabalhadores na Segurança Privada, destaca as Blitz realizada pelo Sindicato nas empresas e nos postos de trabalho.

Veja a edição completa do boletim informativo no link abaixo




06/02/2019 - PROPOSTA PREVÊ PAGAR ABONO DO PIS SÓ PARA QUEM GANHA ATÉ UM SALÁRIO MÍNIMO

A versão preliminar da reforma da Previdência que vazou para a imprensa nesta segunda-feira (4) prevê mudanças no pagamento do abono salarial do PIS/Pasep. Segundo a proposta, o benefício anual deve ser pago somente para quem ganha até um salário mínimo mensal. Hoje, o abono é pago para quem ganha até dois salários mínimos.

A proposta não prevê mudanças na forma de pagamento do abono, estabelecida no final de 2014 pela ex-presidente Dilma Rousseff. O valor pago continuaria variando de acordo com o tempo de trabalho. Se trabalhou o ano todo, recebe o valor cheio, equivalente a um salário mínimo (R$ 998, em 2019). Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente 1/12 do mínimo.

Fonte: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/02/05/abono-salarial-pis-pasep-um-salario-minimo-reforma-da-previdencia.htm

04/02/2019 - BLITZ SINDVIGRIO NOS POSTOS DA CLAUFRAN/DETRAN

O SINDVIGRIO levou oficio ao Detran para comunicar a falta de pagamento de salário, benefícios e FGTS por parte da empresa Claufran aos seus Vigilantes.


Veja no VÍDEO

31/01/2019 - BLITZ SINDVIGRIO NA EMPRESA GP

BLITZ SINDVIGRIO NA EMPRESA GP

O Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro, através da sua diretoria esteve na sede da empresa GP, no Rio de Janeiro, reivindicando que o desconto de R$150, direto na folha, feito pela empresa pare imediatamente e a devolução desse dinheiro, cobrado irregularmente, dos trabalhadores Vigilantes seja feita o quanto antes.

 

Foi cobrado também a regularização de todos os depósitos de FGTS dos Vigilantes.

Veja no vídeo abaixo o resultado da Blitz:


30/01/2019 - ALÔ VIGILANTE - OLHA A OPORTUNIDADE !

CONCURSO PÚBLICO GUARDA MUNICIPAL DE NITERÓI PODE CHEGAR A R$5.400,00


NIVEL MEDIO COMPLETO - 142 VAGAS - CNH CATEGORIA B - IDADE MÍNIMA 18 ANOS - ALTURA MÍNIMA 1,60m PARA MULHERES e 1,70m PARA HOMENS.

As primeiras provas acontecerão no primeiro trimestre de 2019. Além da prova escrita, deverão ser aplicadas outras etapas como teste físico, exame antropométrico e médico e curso de formação.

30/01/2019 - NEGOCIAÇÃO SALARIAL 2019

Ficou para Quinta-feira, dia 31 de janeiro, a nova rodada de negociações com o Sindicato Patronal. Até este momento o debate tem se concentrado na cláusulas sociais e já houve alguns avanços que em breve serão apresentados para a categoria em Assembléia para aprovação dos trabalhadores.

Foto: Momento em que a Federação dos Vigilantes protocola a pauta da categoria no SINDESP.

Quanto às cláusulas econômicas ainda não foram discutidas para deixar mais próximo da divulgação do índice do INPC, que é a inflação calculada pelo IBGE. A data-base da categoria dos vigilantes é 1º de março.

Para a Diretoria dos Sindicatos filiados à Federação dos Vigilantes que participam das negociações o mais importante este ano é garantir direitos e avançar em mais conquistas sociais para os trabalhadores.

Este ano a negociação da escolta armada está sendo feita separada da negociação patrimonial e o para os representantes de escolta no Estado o objetivo é o mesmo, não abrir mão do que já foi conquistado e conseguir mais direitos.

Foto: Momento em que a Federação dos Vigilantes protocola a pauta da categoria no SINDESP.

30/01/2019 - VIGILÂNCIA PRIVADA DENTRO DOS LIMITES DOS IMÓVEIS VIGIADOS

SINDICATO INTENSIFICA AÇÕES NOS POSTOS

O artigo 18 da portaria 3.233 da Polícia Federal é bem claro no que se refere à área de atuação da vigilância privada. O SINDVIG-RIO recebeu inúmeras denúncias em que vigilantes estariam atuando fora do estabelecimento que foi contratado. Além de denunciarmos à Policia Federal, o Sindicato está intensificando as ações nos postos.

O Sindicato já conseguiu, através de reuniões com a gerência de algumas empresas, que adeque o posicionamento dos vigilantes e refaça o plano de segurança para que trabalhem nas áreas internas dos locais onde desempenham suas atividades de segurança e vigilância patrimonial. Algumas empresas ja garantiram que os vigilantes não farão mais vigilância externa.



29/01/2019 - AÇÕES DE MENOR INDENIZAÇÃO SUPERAM PEDIDOS MAIS CAROS APÓS NOVA CLT

AÇÕES DE MENOR INDENIZAÇÃO SUPERAM PEDIDOS MAIS CAROS APÓS NOVA CLT

Enquanto processos de até 40 salários mínimos crescem 23%, casos acima desse valor despencam 63%

 

As alterações da lei trabalhista aprovadas na gestão Michel Temer (MDB) mudaram o foco dos processos na Justiça e levaram as ações de valores menores a superar os pedidos mais caros. Com o risco de arcarem com custos em caso de derrota, os trabalhadores têm reduzido o número de reclamações em busca de assertividade.

Um ano após a reforma, em vigor desde novembro de 2017, o número de ações no chamado rito sumaríssimo —para pedidos entre 2 e 40 salários mínimos (R$ 39.920)— chegou a 800 mil.

O volume representa uma alta de 23% em relação às 652 mil ações dos 12 meses anterior à nova CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Os dados são do TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Enquanto isso, as ações no rito ordinário (acima de 40 mínimos) despencaram 63%, de 1,9 milhão para 721 mil. Na avaliação de especialistas, agora recorrem à Justiça trabalhadores que têm certeza de suas reivindicações.

Manifestantes protestam contra a reforma trabalhista e da Previdência na avenida Paulista, em 2017

A nova lei determinou que, em caso de derrota, o trabalhador deve arcar com os honorários de sucumbência do advogado da outra parte (5% a 15% do valor pedido pelo empregado), bem como com as custas processuais (2%).

“Os pedidos estão muito mais comedidos. As pessoas estão tomando cuidado com relação ao que vão pedir e buscam ter mais certeza”, diz Henrique Melo, sócio do Nogueira Haret e Melo Advogados.

Melo observa que o rito sumaríssimo existe há muitos anos no processo do trabalho, mas não era comum. Apesar de oferecer vantagens —tramitação mais acelerada, por exemplo—, o modelo tem limitações, como um máximo de duas testemunhas. No processo ordinário, são permitidas até três.

“No rito sumaríssimo, também é mais difícil que recursos cheguem ao TST. Muitos advogados optavam, assim, pelo rito ordinário em busca de maior garantia do contraditório”, diz Luiz Marcelo Góis, do BMA Advogados.

O modelo sumaríssimo exigia ainda que os pedidos fossem, no jargão jurídico, líquidos, ou seja, que já apresentem de início os cálculos certos de cada valor pedido, explica Melo.

“Os reclamantes não faziam a liquidação dos pedidos. Era mais fácil colocar apenas para fins de alçada que a ação estava acima de 40 salários mínimos e cair no rito ordinário”, afirma.

O novo texto da lei, no entanto, passou a exigir que todas as petições iniciais já sejam líquidas, diz Góis.

“O valor estimado no final do pedido tem que corresponder ao conteúdo da ação e, na maior parte das vezes, as ações acabam tendo valor inferior a 40 salários mínimos”, afirma.

A queda geral de novos processos é significativa também. Nos 12 meses anteriores à reforma, chegaram à Justiça do Trabalho 2,7 milhões de ações.

O número caiu para 1,7 milhão de reclamações no primeiro ano da reforma —uma redução de 36,9% em relação ao período anterior.

Para Ricardo Pereira de Freitas Guimarães, professor da PUC-SP, no entanto, obrigações como as de honorários de sucumbência dificultam o acesso à Justiça do Trabalho.

“Acho que é possível pagar honorários, mas tenho o entendimento de que eles devem ser fixados com certa proporcionalidade para que o reclamante não perca seu crédito, respeitando que a relação entre empregado e empregador é assimétrica”, diz.

PRODUÇÃO ANTECIPADA DE PROVAS DISPARA MAIS DE 1.000%

A preferência por ações mais assertivas no âmbito trabalhista gerou outro reflexo no processo jurídico: a disparada da produção antecipada de provas.

A ação, prevista no CPC (Código de Processo Civil), tem sido usada para definir a liquidação dos pedidos e evitar o pagamento de honorários e custas em caso de derrota.

Nos 12 meses anteriores à reforma trabalhista, foram ajuizadas nas varas de todo o país 338 produções antecipadas de provas, de acordo com os dados do TST.

Até novembro de 2018, esse número era de 5.752 novos processos, o que representa um salto de 1.600%.

Advogados recorreram ao instrumento do processo civil para produzir a prova de existência do direito e, assim, fazer com que os clientes ajuízem ações já com maior chance de vitória.

“Um prestador de serviços pode entrar com um pedido de produção antecipada de provas alegando que havia vínculo empregatício. Se o juiz reconhecer o vínculo, aí sim o trabalhador entra com ação cobrando todos os direitos. A dúvida sobre o vínculo nem volta a ser discutida”, explica Henrique Melo, do Nogueira Haret e Melo Advogados.

Ele acrescenta que, no rito de produção antecipada de provas, o valor da causa é menor e, como não há condenação, não existem vencedores e perdedores e, portanto, não há obrigação de pagamento de honorários de sucumbência em caso de derrota.

Críticos desse recurso dizem que a produção antecipada de provas, na verdade, acaba levando ao aumento no número de ações no Judiciário —um processo viraria dois.

Para Melo, no entanto, trata-se de um mesmo rito que foi apenas dividido em duas fases.

“Em alguns casos, pode até aliviar a Judiciário. Se o trabalhador pede antecipação de provas para comprovar insalubridade, por exemplo, e obtém um resultado desfavorável, ele pode acabar nem entrando com ação”, diz.

Fonte: Folha de São Paulo - Anaïs Fernandes e William Castanho

25/01/2019 - CASO ANGELS - AUDIÊNCIA NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CASO ANGELS - AUDIÊNCIA NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

Veja no vídeo o resultado da audiência realizada no dia 24/01/2019 para tratar das demissões e acordos esporádicos realizados pela empresa Angel's.

23/01/2019 - RIO 40 GRAUS. PORTARIA DA PF NAO PERMITE VIGILANTE NAS RUAS





Exibindo 18 a 34 de 1350< 1 2 3 4 5 6 >