• Você está em: 
  • Home
  • Notcias

26/10/2018 - 6 ANOS DA LEI DE PERICULOSIDADE DOS VIGILANTES

6 ANOS DA LEI DE PERICULOSIDADE DOS VIGILANTES

 

UMA VITÓRIA QUE COMEÇOU NO RIO DE JANEIRO

 

Em 8 de dezembro de 2012 a ex Presidente Dilma Rouseff sancionou uma das mais importantes conquistas da categoria dos Profissionais da Segurança Privada no País, o direito do adicional de 30% de periculosidade.

 

O trabalho começou em 2008 na Campanha Salarial por sugestão de um Vigilante que participou da Assembléia do Sindicato na Cinelândia. Na época a Federação dos Vigilantes do Estado do Rio de Janeiro, junto com seus Sindicatos Filiados, encamparam essa luta como uma das mais importantes da categoria e isso contagiou o Brasil inteiro.

 

Muitos não acreditavam que conseguiríamos aprovar o projeto de lei. Foram muitas idas e vindas à Brasília na tentativa de convencer os parlamentares à aprovação, emails enviados para todos os Sindicatos dos Vigilantes de todo País para que estes defendessem o projeto em seus estados.

 

Conseguimos! Foram 3 anos de lutas e 5 anos com o adicional de periculosidade em nossos contracheques.

 

Hoje, infelizmente, após a reforma trabalhista aprovada no Governo Temer, muitos direitos estão ameaçados e por isso temos que ser Vigilantes com eles e lutar para avançar com a aposentadoria especial e impedir que o novo governo, seja qual for, aprove a proposta de Reforma Previdenciária do Temer que está prestes a ser aprovada.





.........................................................................................................

LEI Nº 12.740, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2012.

 

Altera o art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, a fim de redefinir os critérios para caracterização das atividades ou operações perigosas, e revoga a Lei nº 7.369, de 20 de setembro de 1985.

 

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

 

Art. 1º O art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, passa a vigorar com as seguintes alterações:

 

        "Art. 193. São consideradas atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem risco acentuado em virtude de exposição permanente do trabalhador a:

 

        I - inflamáveis, explosivos ou energia elétrica;

 

        II - roubos ou outras espécies de violência física nas atividades profissionais de segurança pessoal ou patrimonial.

 

 

        § 3º Serão descontados ou compensados do adicional outros da mesma natureza eventualmente já concedidos ao vigilante por meio de acordo coletivo." (NR)

 

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

 

Art. 3º Fica revogada a Lei nº 7.369, de 20 de setembro de 1985.

 

Brasília, 8 de dezembro de 2012; 191º da Independência e 124º da República.

 

DILMA ROUSSEFF

José Eduardo Cardozo

Carlos Daudt Brizola

26/10/2018 - ATENÇÃO VIGILANTES DAS EMPRESAS GP

A diretoria do SINDIVGRIO esteve hoje, dia 26 de outubro de 2018, na empresa Seguridade, que assumirá os postos do Banco Itaú, em substituição à empresa GP.


Em reunião a empresa confirmou que vai assumir os postos dia 10 de dezembro. Por sua vez a empresa GP tem contrato com o Itaú até dia 31 de outubro.

Quem ficará nas agências do Itaú no mês de novembro, até o dia 10 de dezembro fazendo a segurança bancária, uma vez que os Vigilantes da GP já foram dispensados e trabalham até dia 31 de outubro!?

Se acontecer um sinistro dentro de uma agência quem se responsabiliza pelos Vigilantes e todas as implicações criminais e cíveis?

Fiquem atentos, qualquer informação avisem à diretoria do Sindicato para que as providências sejam tomadas!

26/10/2018 - DONO DE EMPRESA ENVOLVIDO EM ESCÂNDALO MORRE NO HOSPITAL

Empresário morto no tiroteio entre policiais civis de Minas Gerais e São Paulo , atuava no Rio de janeiro na área de Segurança e Vigilância com a Good Security Vigilância E Segurança Privada Eireli.

25/10/2018 - PORTE DE ARMA DISCUTIDO NA CAMPANHA NÃO ATENDE A CATEGORIA DOS VIGILANTES

25/10/2018 - BLITZ SINDVIGRIO NOS POSTOS DA EMPRESA GP NAS AGÊNCIAS DO ITAÚ

Respeitem o Vigilante!!!


24/10/2018 - ATENÇÃO VIGILANTES - RECADO SOBRE A CESTA DE NATAL

Para retirar sua Cesta de natal o associado terá que trazer impreterivelmente o contra cheque de competência de novembro ou outubro.


Para os trabalhadores que não recebem o contra cheque ou que tem dificuldades para recebê-lo, não deixem para resolver isso na ultima hora e chegar no sindicato sem o contra cheque. Qualquer problema nos avisem para ajudarmos a resolver com antecedência.

23/10/2018 - COM O RESULTADO DAS ELEIÇÕES O QUE ESTÁ RUIM DEVE FICAR PIOR

Desde a entrada em vigor da reforma, houve redução da ocupação em geral, mas em especial dos empregos com carteira assinada. Verifica-se a substituição dos contratos formais por outros atípicos, com o consequente aumento na desigualdade de renda.


Feirão de emprego em São Paulo


22/10/2018 - VIGILANTES DA GP

.

19/10/2018 - SINDVIGRIO ENTREGA CESTAS DE NATAL ENTRE 14 E 22 DE DEZEMBRO

SINDVIGRIO ENTREGA CESTAS DE NATAL ENTRE 14 E 22 DE DEZEMBRO

 

Os Vigilantes associados do SindVigRio  podem pegar a cesta de Natal entre os dias 14 e 22 de dezembro (incluindo dois sábados). Como acontece todos os anos a cesta natalina é um benefício a mais que sempre o Sindicato oferece à Família Vigilante, no período natalino. A entrega será feita na sede do Sindicato, à Rua André Cavalcante nº 126 - Centro - RJ, e, na subsede de Campo Grande: Rua Albertina nº 70, próximo à estação de trem.

Para ter direito, basta ser associado e apresentar no dia da retirada da cesta o contracheque de outubro ou novembro, acompanhado de um documento de identidade, que mostra o desconto da mensalidade para o Sindicato dos Vigilantes. Os trabalhadores que se associarem até o dia 15 de dezembro também terá direito ao benefício.

Aqueles que não puderem comparecer, podem se fazer representar pela mulher, parente ou amigo, desde que apresente um documento de identidade junto com o último contracheque.

 

 

18/10/2018 - FÓRMULA 85/95 GARANTE BENEFÍCIO DE ATÉ R$ 3 MIL

FÓRMULA 85/95 GARANTE BENEFÍCIO DE ATÉ R$ 3 MIL

Aposentadoria que soma idade e tempo de contribuição é vantajosa para segurado

 

Os trabalhadores que atingiram as condições de se aposentar por tempo de contribuição pelo INSS com a Fórmula 85/95, que soma idade e tempo de serviço, levam vantagem em relação a quem sofre a incidência do fator previdenciário. Após a implementação da regra em 2015, o segurado que atinge a pontuação recebe uma aposentadoria média de R$3 mil, no caso dos homens, e de R$2,6 mil no das mulheres, segundo dados do INSS.

Já os trabalhadores que se aposentam tendo o fator na composição do cálculo do benefício chegam a ter perdas de até 40%, em relação ao montante contribuído. Pela fórmula - que conta 85 pontos para mulheres e 95 pontos para homens - o benefício é integral. Desde que a regra começou a ser usada até os dias de hoje, 375 mil aposentadorias foram concedidas por esse modelo.

"Essa diferença de valor faz a Fórmula 85/95 ser vantajosa em relação ao fator previdenciário", reforça Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).

Mas por que isso ocorre? Na aposentadoria por tempo de contribuição (com incidência do fator), o cálculo do benefício leva em consideração, no momento da concessão da aposentadoria, o tempo de contribuição à Previdência, a expectativa de sobrevida do segurado (que o IBGE divulga sempre no começo do mês de dezembro) e a idade do trabalhador.

"Quanto maior for o tempo de contribuição e a idade, maior será o fator e, consequentemente, o valor do benefício", explica Adriane.

Esperar para atingir a regra 85/95 tem outras vantagens, de acordo com o atuário Newton Conde, da Conde Consultoria. Os ganhos no caso de mulheres podem chegar a R$ 278 mil e de homens, a R$ 144 mil, ao longo da vida após a concessão do benefício.

Conde explica que para chegar a esses ganhos considerou que segurados fizeram 80% dos recolhimentos sobre o teto do INSS e tinham idade média de solicitação de benefício por tempo de contribuição, que são 52 anos de idade (mulheres) e 55 anos (homens), conforme informações do INSS.

"Os cálculos mostram a importância para o trabalhador esperar atingir a regra 85/95 para ter direito a receber aposentadoria integral", avalia.

O especialista exemplifica: uma mulher com média salarial de R$ 3 mil terá acumulado após a aposentadoria R$ 155,4 mil, caso peça o benefício logo que complete a soma para ter a renda integral (85 pontos). Mas se adiar o pedido em um ano, o valor cai a R$ 122,7 mil. A perda devido a incidência do fator é de 21%.

 

Regra vai mudar no próximo ano

A Fórmula 85/95 ficará mais rígida a partir de 31 de dezembro e passará a ser 86/96, o que significa que o trabalhador terá de esperar um pouco mais para ter aposentadoria integral. A regra atual considera a média dos 80% maiores salários e sem incidência de fator previdenciário.

No último dia de 2018, as somas necessárias de idade e tempo de serviço passarão a 86 pontos para mulheres e 96 para homens. O que não muda é a necessidade de cumprir o tempo mínimo de contribuição, que continuará sendo 30 anos para mulheres e 35 para homens.

Atualmente uma mulher pode ganhar aposentadoria integral tendo, 55 anos de idade e 30 anos de contribuição, que soma 85 pontos. Caso não alcance esses valores até a virada do ano, terá de ficar pelo menos mais seis meses no mercado de trabalho, até atingir 55 anos e meio de idade e 30 anos e meio de contribuição. A lei que instituiu a Fórmula 85/95 prevê a elevação a cada dois anos, indo até 90/100 a partir de 31 de dezembro de 2026.

 

Fonte: Martha Imenes  -  O Dia

17/10/2018 - DESCONTOS IRREGULARES DA GP

A empresa GP comete mais um abuso contra os seus empregados, efetuou um desconto de R$ 46,81 (quarenta e seis reais) a titulo de contribuição assistencial no contracheque.

 

A Diretoria do Sindicato esclarece que esse desconto não existe em nossa convenção coletiva, abaixo tem as duas clausulas que tratam das contribuições em nossa Convenção Coletiva. Infelizmente algum chefete mal informado da GP não entendeu o que está escrito e descontou os valores indevidamente dos trabalhadores. O Sindicato mandou devolver imediatamente os valores aos trabalhadores e pediu para que prestem mais atenção na próxima vez para não cometer tal erro novamente. A GP assim como outras empresas que não são do Rio de Janeiro erram por lerem a Convenção de outros Estados.

 

O Sindicato está na luta contra os desmandos da Empresa GP e não vai parar de denunciá-la pelas suas covardias contra os empregados.

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEGUNDA - CONTRIBUIÇÃO NEGOCIAL

A título de Contribuição Negocial, fica estipulado o desconto de valor igual a 01 (hum) dia de salário já reajustado. As empresas somente ficam obrigadas a descontar a referida Contribuição Negocial dos seus empregados, desde que por eles devidamente autorizados, conforme disposto no artigo 545 da CLT.

Parágrafo Primeiro - Recolhimento: O desconto negocial será efetivado no pagamento do mês subsequente da assinatura da Convenção Coletiva, somente sendo descontado daqueles funcionários que autorizaram expressamente o referido desconto atinentes a referida contribuição, sendo obrigatoriamente recolhido integralmente à tesouraria da entidade consignatária, até o 10° (décimo) dia do mês subsequente a assinatura da Convenção Coletiva, mediante a apresentação da relação ordenada de todos os empregados atingidos pela contribuição, nela constando o nome, função e valor da contribuição.

Parágrafo Segundo - Atraso de repasse: O pagamento fora do prazo a que se refere o parágrafo anterior ficará sujeito à multa de 5% (cinco inteiros por cento), sobre o devido, acrescidos de correção monetária e juros de mora

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA TERCEIRA - CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA

No mês de setembro de 2018, será efetuado o desconto da Contribuição Confederativa prevista na Constituição Federal, no valor único de um dia de salário já reajustado. As empresas somente ficam obrigadas a descontar a referida Contribuição Confederativa dos seus empregados, desde que por eles devidamente autorizados de forma expressa, conforme disposto no artigo 545 da CLT.

Parágrafo Primeiro - Recolhimento: Somente será descontado daqueles funcionários que autorizaram expressamente o referido desconto. Sendo que obrigatoriamente, o associado recolha para o Sindicato ao qual for filiado, e os não-sindicalizados para o Sindicato da base que o mesmo trabalha, até o 10º (décimo) dia do mês subsequente, mediante apresentação, pelas empresas, da relação ordenada de todos os empregados atingidos pelo desconto, nela constando nome, cargo, salário e valor da contribuição.

Parágrafo Segundo - Atraso de Repasse: O pagamento fora do prazo a que se refere o parágrafo anterior ficará sujeito à multa de 5% (cinco inteiros por cento), sobre o devido, acrescida de correção monetária e juros de mora.

15/10/2018 - NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A GP

Estamos brigando contra os desmandos da empresa GP, principalmente pelo fato de não depositar o FGTS de seus empregados há seis anos e também por não pagar e homologar os seus empregados demitidos e que pediram demissão.

 

Tentamos todas as possibilidades de diálogo, fizemos toda pressão na porta da empresa, inclusive no último dia 06 de outubro, sábado, estivemos conversando com os Vigilantes convocados para reunião na sede, onde os representantes da GP de São Paulo fizeram a proposta de acordo para os trabalhadores.

Em nenhum momento a empresa GP teve a dignidade de apresentar a proposta de acordo para os Dirigentes do SINDVIG Rio e principalmente, em nenhum momento disseram de onde pretende tirar dinheiro para pagar as supostas parcelas do acordo feito com estes trabalhadores. Segundo relatos dos Vigilantes que estiveram na empresa no sábado, dia 06 de outubro, a proposta é parcelar em 05 (cinco) vezes todas as verbas rescisórias e mais o que falta de saldo do FGTS e o valor da multa de 40%. Como tudo foi feito sem a nossa participação, não sabemos se os cálculos foram feitos de maneira correta e de que forma a empresa pretende pagar, uma vez que não estava pagando nem pedido de demissão.

 

Momento em que a polícia foi chamada para impedir a ação do Sindicato

A empresa GP chegou ao absurdo de marcar reunião com a Diretoria dos Sindicatos de Vigilantes de todo Estado do Rio de Janeiro e antecipar a reunião com os trabalhadores para dar a volta nos Sindicatos. Em Volta Redonda a empresa contratou um ônibus para trazer ao Rio os Vigilantes da Região do Sul Fluminense. Tudo sob os protestos da Diretoria do Sindicato de Volta Redonda que compareceu ao ponto de encontro e pediu aos Vigilantes que não assinassem nenhum acordo.

A empresa que ganhou a concorrência do Itaú e que vai prestar serviço no Rio de Janeiro, ainda não tem autorização para funcionar em nosso Estado e por isso afirmou por telefone que assumirá apenas em dezembro deste ano, pois antes não tem condições. Até isso a empresa GP não esclareceu corretamente, ou seja, quando entrega o contrato.

Estamos assim mais uma vez pedindo para que os trabalhadores procurem nossa Diretoria e nosso Departamento Jurídico para tratarmos de garantir os seus direitos, para que possamos garantir a retenção de créditos da empresa para o seu devido pagamento, afinal serão mais 500 Vigilantes demitidos, sendo difícil acreditar que a GP conseguirá arcar com todos esses custos sem atrasos e transtornos para os trabalhadores, avaliação feita diante do histórico da empresa nos últimos meses.

PROCUREM O SINDICATO ANTES DE QUALQUER DECISÃO, AQUI É A SUA CASA!

11/10/2018 - INSS: JUSTIÇA RECONHECE REVISÃO E APOSENTADORIA SOBE 78%

INSS: JUSTIÇA RECONHECE REVISÃO E APOSENTADORIA SOBE 78%

 

INSS: Justiça reconhece revisão e aposentadoria sobe 78% . A Justiça tem sido a alternativa para que aposentados e pensionistas do INSS consigam corrigir erros no cálculo dos benefícios na época da concessão da aposentadoria. Em vários casos, conseguem sentenças favoráveis para revisar aposentadorias e pensões. Entre as possibilidades de aumentar o valor recebido, o aposentado deve entrar com processo pela revisão do teto no chamado Buraco Negro.

Mas quem tem direito a pedir essa revisão? De acordo com o advogado Murilo Aith, do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, é preciso preencher alguns pré-requisitos. O principal deles é ter se aposentado pelo INSS entre 5 de outubro de 1988 e 4 de abril de 1991 – no período denominado como Buraco Negro – e não ter sido contemplado por revisão do teto em anos seguintes, mais especificamente em 1998 e em 2003. Nos dois anos, os valores limites de salários-de-contribuição eram de R$1.081,50 e de R$ 1.869,34, respectivamente.

“Milhares de aposentados têm o direito e não sabem, mesmo os que tiveram o benefício revisto entre 1992 e 1993 e não se aposentaram com 100% do teto na época, é grande a chance de ter o direito a revisão”, aponta.

 

O caso

A mais recente decisão foi proferida pela 9ª Vara Previdenciária Federal de São Paulo. Com a sentença, o aposentado foi favorecido com uma correção que mais do que dobrou o que ele ganha atualmente. E ainda vai render atrasados de R$ 308.627,32.

No caso do bancário aposentado A.P.N., de 77 anos de idade, morador da cidade de Piraju, em São Paulo, o benefício será corrigido em 78,92%. “Ele recebe hoje em dia R$ 2.692,80, mas com a decisão da Justiça seu benefício vai passar a R$ 4.817,94”, comemora o advogado. “Uma diferença de mais de R$ 2 mil”, acrescenta Murilo.

“A ação é popularmente chamada de revisão, mas se trata de uma readequação, sem qualquer prazo decadencial”, diz.

O especialista adverte que ainda cabe recurso do INSS, mas diz estar confiante de que a decisão inicial será mantida.



Como verificar se tem direito

Um dado importante a destacar é que nem todos os aposentados se enquadram nesse tipo de revisão. O período do Buraco Negro afetou segurados do INSS que tiveram o benefício liberado à época – entre outubro de 1988 e abril de 1991 – e atualmente ganham mais de R$1.500. E isso ocorre porque as aposentadorias do INSS não foram reajustadas de acordo com a inflação acumulada no período.

A orientação para verificar se o aposentado tem direito é simples: basta o segurado olhar na carta de concessão de benefício se consta como limitado ao teto da época. Caso o documento tenha essa indicação, o segurado pode fazer um pedido de revisão administrativa em uma agência do INSS.

Caso o pedido seja indeferido, o que é bem comum, é preciso recorrer à Justiça.

 

Fonte O Dia

09/10/2018 - SINDICATO GARANTE BENEFÍCIOS QUE INSS RECUSOU A VIGILANTE

SINDICATO GARANTE BENEFÍCIOS QUE INSS RECUSOU A VIGILANTE

Esteve ontem (8/10)  na sede do SINDVIG-RIO o vigilante aposentado Carlos Antônio Mazuco,  associado há mais de 23 anos ao nosso sindicato. Em 2014 sua esposa adoeceu e durante um ano e meio, não recebeu o auxílio doença, que deveria ter sido pago pelo INSS.

Durante um ano de muita luta, sua esposa veio a falecer. A partir daí o associado procurou o Sindicato para se informar se teria direito ao benefício que não foi pago na época. Foi então que a advogada do Sindvig-Rio, Dra. Claudia Góes, explicou que ele teria direito aos meses não recebidos e a uma pensão por morte. E assim deram entrada com os documentos.

Durante o processo, Carlos Antônio teve algumas dificuldades pois o INSS não queria liberar o benefício que era dele por lei. Os advogados do Sindicato o auxiliaram e depois de dois anos e meio ele conseguiu receber todos os benefícios.

Hoje, Carlos Antonio conseguiu realizar seu grande sonho, abrir seu próprio restaurante. "Graças ao Sindvig-Rio tive a possibilidade de abrir meu próprio negócio. Sou muito grato ao Sindicato, sem eles eu não teria possibilidade de realizar esse grande sonho meu".

Quem quiser prestigiar o nosso amigo Carlos Antônio, seu restaurante se chama "Sabor e Arte"  e fica na Rua Mário Carpenter 231. Pilares - RJ.

Telefone: 21 98855-9928

 Associado Antônio Carlos e a advogada do SINDVIG-RIO, Dra Cláudia Góes

 


09/10/2018 - EXAME DE VISTA GRATUITO NO SINDVIGRIO

Com o objetivo de cuidar da saúde do olhos dos trabalhadores, o SINDVIGRIO está fornecendo nos meses de outubro e novembro exame de vista gratuito para o associado e sua família nos dias 15 e 29 de outubro e 12 e 26 de novembro de 9h ás 13h.



Venham!

06/10/2018 - SERASA LANÇA PLATAFORMA LIMPA NOME 2018 COM PARCELAMENTO E DESCONTOS DE ATÉ 90%

Esta é uma boa oportunidade para os vigilantes que estão com nome negativado, regularizar seu CPF. Muitas empresas deixam de contratar o vigilante por estar com nome no SPC/Serasa.

Matéria de Letycia Cardoso - Jornal Extra -  30/08/18

A Serasa Experian relançou sua plataforma para renegociação de dívidas: o Limpa Nome. O site já existia desde 2013, mas apenas com intuito de informar aos cidadãos os telefones de contato das instituições onde poderiam sanar os débitos. Agora, também é possível renegociar o valor, decidir a quantidade de parcelas e, ainda, gerar boletos online.


– O volume de adesão à plataforma tem sido surpreendente! Em um único dia, tivemos uma quantidade de cadastros correspondente a um mês inteiro na plataforma antiga – contou Lucas Lopes, gerente do Serasa Consumidor.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 49% dos inadimplentes confiam que vão conseguir regularizar a situação nos próximos três meses, sendo que 36% planejam quitar todo o valor e 13% apenas parte dele. Entre aqueles que têm a esperança de regularizar o CPF, a renegociação com o credor será a principal estratégia. Quatro de cada dez entrevistados (37%) pretendem realizar um acordo com a empresa e parcelar o débito, enquanto 19% farão cortes nos gastos e 18% vão recorrer a bicos para gerar renda extra.

Com novas funcionalidades e foco no acesso por celulares, a página do Serasa é mais simples e fácil de usar. O boleto de pagamento pode ser gerado em apenas três etapas e o consumidor ainda tem escolha entre fazer o download, copiar o código de barras para fazer o pagamento por um aplicativo bancário, ou mandar para seu e-mail.

Entre os oito parceiros integrados ao sistema, estão empresas de telecomunicações, educação, cartão de crédito e bancos. Para esses, toda a negociação pode ser realizada na própria plataforma, sem direcionamento para outro site. A expectativa é incluir mais cinco novas parcerias a cada mês.

As condições ofertadas variam de acordo com o ticket médio e com o tempo da dívida:

– Há descontos de até 90%. Também há empresas que não reduzem tanto o valor, mas fazem parcelamentos extensos, em até 36 vezes – revelou Lopes.

O próximo feirão físico Limpa Nome do Serasa deve acontecer em novembro. Até lá, a instituição tentará com que todos parceiros estejam disponíveis no site, a fim de ampliar a negociação para o Brasil inteiro: o objetivo é oferecer as mesmas condições tanto pessoalmente quanto via site.

06/10/2018 - DENÚNCIA: INFELIZMENTE O BRASIL É O PAÍS DAS PORTAS ARROMBADAS, INCLUSIVE NA SEGURANÇA PRIVADA

Assalto neste fim de semana, dia 08 de setembro, sábado, à empresa de segurança da baixada fluminense, no Estado do Rio de Janeiro, mais uma vez demonstra que a Segurança Privada no Estado do Rio de Janeiro vai de mal a pior. Após a CPI das armas da ALERJ apurar a grande quantidade de armas de empresas de segurança privada em mãos de bandidos, hoje o quadro parece não ter se alterado. Em dez anos, 2005 a 2015, foram 17.662 armas foram roubadas, furtadas ou perdidas. Assaltantes levaram revólveres e espingardas calibre 12 de empresa de escolta e certamente esse arsenal será utilizado em assaltos nas ruas de nosso Estado.


Há muitos anos que a Diretoria do SINDVIG-Rio tem atuado para impedir que empresas de segurança sem condições mínimas de empregados e capital social continuem atuando no segmento. Mas a luta tem sido inglória, pois cada vez mais proliferam tais empresas, onde não há Vigilantes sequer para guardar a própria sede. Diretores Sindicais denunciam situações que ao visitarem essas empresas encontram porteiros ou empregados administrativos cuidando da entrada e saída de pessoas, o que demonstra a fragilidade a que estão expostos seus empregados e principalmente armamento e coletes a prova de balas. Resta a pergunta: uma empresa que não guarda sua própria sede, pode oferecer segurança aos seus clientes?



Exibindo 52 a 68 de 1313< 1 2 3 4 5 6 7 8 >