LUTO PELO VIGILANTE MORTO QUE ESTAVA A CAMINHO DO SERVIÇO

A Diretoria do SINDVIG-RIO se solidariza com os familiares e amigos do VIGILANTE DENIS FRANCISCO PAES, que foi baleado a caminho do serviço nas proximidades do morro do juramento, na ultima terça feira.

Segundo a matéria publicada nesta quinta feira, 29 de abril, a conduta dos PMs será investigada. O Sindicato acompanha o caso de perto.

A PM diz que foi atacada por traficantes quando passava pela rua Barão de Petrópolis. Já moradores dizem que “os PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Escondidinho/Prazeres fizeram uma emboscada para matar o traficante Marcelo da Silva Guilherme, o Marcelinho dos Prazeres”, apontado pela polícia como chefe do tráfico no Morro dos Prazeres.

Esposa de Denis no local da morte do Vigilante, que fora atingido por bala enquanto voltava do trabalho temporario na Tijuca,
Esposa de Denis no local da morte do Vigilante, que fora atingido por bala enquanto voltava do trabalho temporario na Tijuca, Foto: Fabiano Rocha / Agencia O Globo

O vigilante Denis Francisco Paes, de 46 anos, deixava a casa onde morava, no alto do Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, pouco depois das 8h, e seguia para o trabalho temporário na Praça Saenz Peña, na Tijuca. Como segurança de rua, ele trabalhava por mais de 10 horas por dia. Nesta segunda-feira, quando findou o expediente, pouco depois das 20h30, o vigilante seguiu para casa. O objetivo era encontrar a esposa e os cinco filhos – de 6, 10, 12, 15 e 18 anos. No entanto, ele não chegou na residência. Morreu baleado quando acessava a viela da Favelinha, uma das localidades que dá acesso a comunidade onde morava. Naquele momento a Polícia Militar trocava tiros com traficantes da região. Por conta do confronto, quatro pessoas morreram. Uma passageira de uma van – que passava no momento do confronto – está em estado grave no Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*